COMO FAZER UM MODELO DE NEGÓCIOS

 

assinatura-email-arte-final

Antes de você iniciar um negócio, o ideal é já na fase da ideia de criação de um empreendimento, que você aprenda a fazer um modelo de negócio. O modelo de negócio desenvolvido através de uma ferramenta chamada de Quadro de Modelo de Negócios (Business Model Canvas), criada por Alex Osterwalder e Yves Pigneur, serve para planejar e visualizar as principais funções de um negócio e suas relações.

O quadro de modelo de negócios idealizado por Alex Osterwalder e Yves Pigneur e aqui no Brasil divulgado pelo SEBRAE e outras pessoas e instituições, é uma maneira ampliada de se pensar e planejar o futuro empreendimento. A maioria das pequenas empresas não obtém sucesso, por falta de um simples planejamento, que muitos acham desnecessário, mas faria grande diferença na continuidade da empreitada empresarial.

O quadro Modelo de Negócios procura responder 4 grandes perguntas básicas: Para quem vou criar este negócio? O que vou criar para esses clientes/consumidores? Como vou desenvolver este projeto empresarial? E Quanto vou gastar e ganhar com essa minha empresa? O exemplo de QUADRO MODELO DE NEGÓCIOS, que está na página do SEBRAE: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/bis/quadro-de-modelo-de-negocios-para-criar-recriar-e-inovar,a6df0cc7f4217410VgnVCM2000003c74010aRCRD

1

Vamos relatar sucintamente as particularidades deste quadro:

Segmente de Clientes: Não adianta querer criar uma empresa para atender a todo e qualquer cliente daquele tipo de atividade, mas também é perigoso trabalhar com somente um tipo cliente, por que a nova empresa ficará refém daquele cliente. Selecione algumas poucas atividades que você domine em termos de conhecimento ou que você tenha pessoas que saibam fazer essas atividades. Veja se coincide seus conhecimentos com a resolução de algum problema de uma categoria de clientes. Uma dica de identificação de categoria de pessoas pode ser pelos hábitos ou costumes das pessoas.

Proposta de Valor: Considero este tópico um dos mais importantes, porque a proposta de valor é a cara da tua empresa. Nesta proposta de valor é onde você vai se diferenciar das outras empresas, é onde teus futuros clientes irão te escolher para resolver os problemas deles. A proposta deve resolver as necessidades e as dores dos clientes, por isso que ele vai te escolher para comprar produtos ou serviços. A segmentação de clientes é crucial para te fazer especialista nas necessidades dos futuros clientes.

Canais: Aqui é onde você vai escolher como entregar ao cliente a tua Proposta de Valor. Quais os meios físicos ou virtuais? Não adianta se você segmentou bem a clientela, fez uma ótima proposta de valor, mas entregou por um canal indevido, insuficiente ou ineficiente. O site, o telefone, o e-mail, o motoboy, o atendimento na tua Sede ou você mesmo não soube entregar a proposta para satisfazer a necessidade do cliente. Escolha o canal adequado para cada tipo de cliente.

Relacionamento com o cliente: Os tipos de relacionamentos que você vai fixar com o cliente dependerá da fidelização futura dele. Segmentos específicos de clientes carecem de relacionamentos próprios. Todo cuidado é pouco, para se ter um cliente fiel. A empatia é um ótimo recurso na convivência da empresa com o cliente. O exercício da empatia faz com que você perceba as necessidades, dores e problemas dos clientes.

Fontes de Receitas: São valores que vossa futura carteira de clientes está disposta a pagar, tendo em vista os benefícios que a proposta de valor vai impactar na resolução dos problemas e/ou dores dos clientes. Neste quesito não se deve esperar somente a venda de bens ou serviços da nossa empresa, mas outras fontes de receitas com propaganda e publicidade que possamos disponibilizar para nossa rede de parceria no nosso site, na nossa Sede, embalagens, etc.

Recursos principais: Os recursos principais são, recursos humanos, financeiros e materiais para entregar a proposta de valor diferenciada aos nossos clientes. Trabalhe sempre com os recursos intangíveis como o conhecimento da equipe gestora e colaboradora.

Atividades-chave: Essas atividades devem ser planejadas para colocarem a empresa em funcionamento e que sejam imprescindíveis para a entrega da proposta de valor. Destaca-se:

  1. Resolução de problemas: Quando o negócio for serviços e se dispuser a resolver algum problema ou dor dos seus clientes, ou bens que possam satisfazer as necessidades dos clientes naquilo que ele necessita;

  2. Desenvolvimento de bens ou serviços: Como será o desenvolvimento e elaboração dos bens ou serviços? Como será a produção?

  3. Relacionamentos e redes: solução de relacionamentos ou redes de comunicação para entrega da Proposta de Valor;

  4. Atividades operacionais: Como será o dia a dia da organização e que sejam imprescindíveis para o seu funcionamento.

Parcerias Principais: Estas parcerias são de grande valor para a nova organização, tendo em vista que fornecedores, parceiros, prestadores de serviços ligados ao negócio, que sejam externos ao empreendimento, mas que são fundamentais para o bom andamento e funcionamento da empresa.

Estrutura de custo: Esses principais custos vão fazer com que o negócio funcione. Em contabilidade conceituamos DESPESAS como tudo que pode gerar RECEITAS. Então não tenha medo de ter despesas, você não deve ter desperdícios, que é outra coisa totalmente diferente. Nesta estrutura estão os itens e as rubricas para que seja entregue eficientemente a promessa na proposta de valor.

25.10.2016

Contador Prof. Dr. João F. de Lavor – Doutor em Educação, Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente, Contador e Pedagogo. Experiência de 23 anos em 4 grandes bancos: Banco do Brasil, BRADESCO, Caixa Econômica Federal e Banco do Nordeste do Brasil S.A. – Professor universitário.

Posted in Uncategorized.